- Publicidade -
Home Notícias e Tendências Oncologia Conheça um pouco mais sobre o papel do farmacêutico atuante em oncologia

Conheça um pouco mais sobre o papel do farmacêutico atuante em oncologia

- Publicidade -

O profissional deve ter um perfil multidisciplinar, com conhecimentos básicos de administração e habilidade para coordenação e liderança.

Na data de hoje, 20 de janeiro, a Oncologia Brasil parabeniza a todos os farmacêuticos pelo seu dia, mas, em especial, aquele que é um importante aliado na luta contra o câncer: o farmacêutico oncológico.

Integrante essencial da equipe multidisciplinar em oncologia, o farmacêutico atua na manipulação e gerenciamento dos medicamentos utilizados, em suas diferentes etapas, garantindo que os procedimentos sejam realizados da maneira adequada, conforme indicação e posologia.

Responsável pela gestão da farmácia clínica e de programas de atenção farmacêutica, o profissional é um profundo conhecedor das drogas e diferentes terapias que muitas vezes lida com situações de alta complexidade, assumindo uma atividade de grande importância para o sucesso do tratamento do paciente com câncer.

No Brasil, os programas de graduação em farmácia não contemplam, em seus componentes curriculares, teoria e prática em Oncologia apropriadas para o exercício da função. Isso torna necessário que o profissional farmacêutico oncológico complemente sua formação e adquira experiência através de cursos complementares, cursos de pós-graduação e programas de residência.

Em relação à quimioterapia, conforme a resolução 288/96 do Conselho Federal de Farmácia, somente o farmacêutico é autorizado a manipular os citotóxicos utilizados no tratamento, pois saberá realizar o manejo apropriado, seguindo as normas técnicas e conhecendo profundamente as resoluções e suas diretrizes, garantindo a segurança essencial para a administração das drogas, e de acordo com as técnicas de biossegurança.

O farmacêutico também cumpre um importante papel lidando diretamente com o paciente oncológico, devendo estar apto a trazer informações sobre possíveis eventos adversos de maneira clara e apropriada.

Confira o vídeo e comentário da Daniela Archanjo:

“O Farmacêutico oncológico é um profissional formado em Farmácia com especialização e vivencia em oncologia. Como uma área em constante expansão, o profissional é requerido pelo mercado com legislação e formação específica. O seu destaque vem a pouco mais de 15 anos, pela demanda crescente do acometimento do câncer em pacientes, por isso a necessidade de um profissional atento ao futuro, principalmente pois o Brasil será um dos países que maia terá idosos nas próximas décadas. Este profissional deverá, além de estar atualizado, conhecer o paciente nos seus mais diversos aspectos. Como social. Cultural, emocional e promover a constante qualidade para o paciente”.

Daniela Archanjo é farmacêutica hospitalar e clínica, com ênfase em Farmacoeconomia, Farmacovigilância, Segurança ao Paciente, Uso Racional de Medicamento e Reações Adversas a Medicamentos.

- Publicidade -
- Publicidade -

Fique Conectado!

16,985FansLike
2,458FollowersFollow
61,453SubscribersSubscribe

Mais Lidas

Radioterapia moderadamente hipofracionada no câncer de mama inicial ou in situ é recomendada como novo padrão de terapia

O interesse na radioterapia hipofracionada tem se renovado com o passar dos anos O estudo DBCG HYPO (NCT00909818) foi projetado para avaliar e testar estatisticamente...
- Publicidade -

Pela primeira vez, a U.S. Preventive Services Task Force orienta o rastreamento para câncer colorretal aos 45 anos

O câncer colorretal é a terceira causa de morte por câncer nos Estados Unidos. Apesar das fortes evidências de que o rastreamento do câncer...

Incidência de câncer de próstata localizado nos Estados Unidos diminui, porém a de estágio avançado recrudesce, segundo relatório

Dados de incidência e sobrevida de câncer de próstata nos Estados Unidos foram atualizados recentemente pelo Morbidity and Mortality Weekly Report, do Centers for...

Biópsia líquida pode predizer desfechos com imunoterapia em 1ª linha, mas não em 2ª, no tratamento do melanoma metastático

Biópsia líquida e o ctDNA estão cada vez mais incorporados à clínica, auxiliado a entender diversos aspectos dos tratamentos contra diversas malignidades Embora contabilize apenas...

Notícias Relacionadas

Radioterapia moderadamente hipofracionada no câncer de mama inicial ou in situ é recomendada como novo padrão de terapia

O interesse na radioterapia hipofracionada tem se renovado com o passar dos anos O estudo DBCG HYPO (NCT00909818) foi projetado para avaliar e testar estatisticamente...

Pela primeira vez, a U.S. Preventive Services Task Force orienta o rastreamento para câncer colorretal aos 45 anos

O câncer colorretal é a terceira causa de morte por câncer nos Estados Unidos. Apesar das fortes evidências de que o rastreamento do câncer...

Incidência de câncer de próstata localizado nos Estados Unidos diminui, porém a de estágio avançado recrudesce, segundo relatório

Dados de incidência e sobrevida de câncer de próstata nos Estados Unidos foram atualizados recentemente pelo Morbidity and Mortality Weekly Report, do Centers for...

Biópsia líquida pode predizer desfechos com imunoterapia em 1ª linha, mas não em 2ª, no tratamento do melanoma metastático

Biópsia líquida e o ctDNA estão cada vez mais incorporados à clínica, auxiliado a entender diversos aspectos dos tratamentos contra diversas malignidades Embora contabilize apenas...

Adição de irinotecano neoadjuvante aumenta a taxa de resposta patológica em adenocarcinoma de reto localmente avançado

Vários estudos de escalonamento de dose descobriram que a máxima dose tolerada do irinotecano diminuiu com um número crescente de alelos UGT1A1 defeituosos, confirmando...

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site usa cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.